Blog do Tanlup

14
Dec2010

Presentear: arte, feita à mão!

Este post foi escrito pela Laély Fonseca, do blog Sala da La.


imagem por Caramujo

Sou casada há mais de 20 anos e o marido ainda insiste dizer que não sabe me presentear. Acho desatenção da parte dele (dificuldades do universo masculino…) e injusto fazer de mim alguém tão difícil de agradar (dificuldades do universo feminino…). Mas gosto de tantas coisas diferentes que, depois de tanto tempo de convívio, já era para ele ter alguma noção.

Dizem que “os homens preferem as loiras”, enquanto elas, os diamantes (assim traduziu Marilyn Monroe numa canção, em Gentlemen Prefer Blondes: “os diamantes são os melhores amigos de uma garota”). Na verdade, presentear é muito mais que o valor em dinheiro. Se fosse assim, só os ricos poderiam dar bons presentes. Demanda conhecer um pouco da pessoa a ser presenteada e, quanto mais próxima e querida, maior a responsabilidade. Melhor então fugir de clichês, principalmente nessa época de fim de ano, quando somos arrastados pelo tsunami do consumismo.

O que vale é dar uma desacelerada, pelo menos ao final de cada ano, para repensar nossos valores, e o valor que damos às nossas relações pessoais. Vivemos num corre-corre tão grande, que muitas vezes esquecemos de dizer a quem está ao nosso lado: “muito obrigado” ou “você é especial pra mim” ou “você dá um up no meu dia-a-dia!”. E nada mais pessoal que dizer “obrigado” com um presente.

Um dos nossos natais mais animadas foi quando propus um “amigo x” diferente: o presente deveria ser artesanal. Cada um procurou agradar, até os menos jeitosos, mas o esforço extra rendeu ao menos boas risadas. Implicitamente, junto com o objeto manufaturado vai um bem, muito maior: nosso tempo e atenção.

Minha mãe esforça-se todo fim de ano para dar conta de costurar bolsas, colchas, roupas… tudo para agradar amigos com um mimo exclusivo! Como não sei costurar, meu investimento é na cozinha: pães, bolos, biscoitos caseiros, numa embalagem caprichada e original, põem na boca de quem vai recebê-los um sabor extra de carinho.

Este ano resolvi encomendar presentinhos especiais: algumas amigas crafters receberão pelo correio um objeto feito à mão. Acho nostálgico e mágico o suspense da espera, a ida à agência, o recebimento da encomenda. Fico imaginando o sorriso e brilho nos olhos daquela que vai abrir o presente. De longe, sinto a mesma coisa. Diz aquela propaganda: “há coisas que o dinheiro não compra”, mas os Correios podem entregar na sua casa…

>> E o que você acha sobre a escolha de comprar produtos de artistas independentes? Nós queremos saber.

  • Mileorlando

    Presentear é mais do que comprar,requer conhecer o outro.
    Minha sogra nunca consegue,mas a frase dela diz tudo:eu gostei!!!Nunca vai dar certo,eu teria que gostar,não ela.
    Mas voltamos ao assunto inicial,requer olhar o outro …é um exercício,os homens não têm essa paciência,usam a desculpa que somos difíceis.